Descrição

Sobre um domo rochoso que se eleva das entranhas da serra do Montemuro, o Pico do Talegre é o ponto mais alto das Montanhas Mágicas®, com 1381 metros. Daqui avista-se grande parte das serras do norte de Portugal, desde as mais longínquas como a Estrela a sul e o Gerês a norte, às mais próximas, como o maciço da Gralheira, o Caramulo ou o Alvão. Daqui também é possível perceber, nos relevos da paisagem, os vales do Douro, Paiva, Vouga e, mais perto, o fantástico vale de fratura do Bestança. Na envolvente do Talegre podem-se observar belas e diversas formas graníticas esculpidas pelo tempo, como pias, bolas gigantes, fissuras ou sulcos lineares.

Caldoneira
Geoformas do Montemuro
Lobo-ibérico
Víbora-cornuda

Património Natural

Na envolvente do Pico do Talegre estão presentes espécies e habitats de grande importância. As condições extremas que aqui se verificam, devido à elevada altitude, obrigaram as diferentes espécies que aqui encontramos a adaptações notáveis. Nas zonas de depressão, onde a acumulação de água é maior, surgem os cervunais, locais pobres em nutrientes onde se desenvolve uma diversidade florística notável. Estes prados de proteção prioritária, que se caraterizam pelo domínio de cervum, alojam espécies importantes como a genciana, sendo também um importante refúgio para muitas espécies de invertebrados. No domo rochoso, sobre a conhecida laje gorda, pode-se observar a caldoneira que, na serra do Montemuro, é muito rara. Esta planta, preparada para as duras condições de alta montanha, é comum nas montanhas ibéricas. Nesta dura paisagem serrana também estão presentes espécies como o enigmático lobo-ibérico, a víbora-cornuda, o tartaranhão-azulado ou o melro-das-rochas.

Cervunal
Genciana
Pico do Talegre